3 de mai de 2010

BIOGRAFIA DE MÁRCIA VENTURINI


Em 27 de fevereiro de 2007 faleceu, vítima de câncer, nossa querida irmã Márcia Venturini de Souza (61 anos). Que lacuna ela deixou... Quanta saudade...

Nascida em São Paulo (SP) em 20 de novembro de 1945, Márcia Venturini foi batizada em 31 de dezembro de 1954 e preparou-se no Instituto Batista de Educação Religiosa (IBER), no Rio de Janeiro. Sempre apaixonada pela evangelização – especialmente na área infantil – Márcia fez o curso de Especialização em Evangelização de Crianças na APEC (Aliança Pró-Evangelização de Crianças). Também estudou piano e inglês.

Em 19 de dezembro de 1964 casou-se com o Pr. Francisco Antônio de Souza e ambos seguiram imediatamente para o sertão do Ceará como missionários da APEC e depois da Junta de Missões Nacionais. No início dos anos de 1970 e já com os filhos Joed e Lília Rita, assumiram o ministério pastoral na Primeira Igreja Batista de Nova Iguaçu (RJ).

Certa vez, Márcia foi convidada para escrever algumas lições para juniores e Embaixadores do Rei sobre os Açores. A pesquisa levou-a a ver toda a carência desse arquipélago; o coração pulsou forte e foi inundado pela convicção de partir levando o Evangelho de Jesus Cristo aos açorianos.

Assim, em 1974 a família Venturini de Souza seguiu para os Açores como pioneira dos batistas brasileiros. Ali chegando, a Tia Márcia, como era conhecida, se dedicou ao trabalho com crianças, sendo admirada por todos por sua sabedoria ao comunicar-se com os pequeninos. Sem perder de vista a evangelização de jovens e adultos, pregava através de contatos pessoais e do rádio, edificando vidas e lares com a sua comunicação, dom especial que Deus lhe deu. A família missionária organizou a Igreja Evangélica Batista da Horta e Igreja Evangélica Batista da Praia da Vitória, além de ajudar a organizar outra igreja no campo açoriano,  a missão baptista de Angra do Heroísmo.

O ano de 1984 marca a chegada dessa família a Portugal Continental, mais precisamente a Viana do Castelo; dali também dirigia uma igreja e uma missão em cidades próximas. Em 1987 houve a transferência para Barcelos e, em 1990, Márcia e Pr. Francisco (já sem os filhos, que estavam estudando fora) chegam a Santarém.

Por fim, serviram ao Senhor em Cabo Verde, onde chegaram em 1996, também como pioneiros dos batistas brasileiros. Em outubro já estavam organizando a Primeira Igreja Batista da Praia, na capital cabo-verdiana. Ficaram nesse campo apenas dois anos, porém o tempo suficiente para realizarem excelente trabalho.

De volta ao Brasil, Márcia jamais deixou de se envolver com a obra missionária. Fazia promoção nas igrejas e sempre colaborava escrevendo artigos e estudos missionários para o Jornal de Missões e para revistas denominacionais e das campanhas da JMM.

Louvamos a Deus pela vida e o legado que a amada missionária Márcia Venturini de Souza deixou para a história dos batistas brasileiros no Brasil e no mundo. Seu trabalho dedicado à obra de Deus continua produzindo frutos por todo mundo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Que saudades! Lembro das pizzas que Márcia fazia lá na Praia da Vitória; lembro das histórias maravilhosas contadas através do programa "Voz Baptista Açoriana", na Rádio Clube de Angra, interpretando cada personagem com tanta criatividade que era quase impossível acreditar que era apenas uma pessoa atrás do microfone; Lembro com carinho dos seus cuidados com os meus filhos (seus sobrinhos adotivos) quando Leila passou uma semana em tratamento de saúde em Lisboa; Márcia era de fato uma mulher muito especial. Acima de tudo uma serva do Senhor Jesus; uma autêntica missionária.

Diné René Lóta